A eflorescência em filtros de barro

Filtros ou potes de barro são modelos de filtros criados no Brasil no fim do século XX, que tem chamado bastante atenção no mundo. Isso ocorre pelo fato desses filtros possuírem alta qualidade e eficácia na purificação de água. Seu corpo é composto por um material poroso que retém sujeira, detritos, bactérias, protozoários e cistos microbianos da água.

Alguns são feitos com uma camada de prata que tem a finalidade de extinguir o crescimento de bactérias e algas do corpo do filtro. O seu elemento filtrante, conhecido como vela, é um cartucho de cerâmica com um núcleo de carvão ativado, o qual é responsável pela redução de contaminantes orgânicos, metálicos e absorver compostos como o cloro livre.

 

A eflorescência é um fenômeno comumente confundido com mofo devido a sua viscosidade aparente em seu início de formação, e ocorre principalmente em materiais cerâmicos. Os sais presentes na cerâmica, ao se depararem com os sais presentes de uma solução aquosa, interagem criando um ambiente favorável para a transição e evaporação dos elementos.

Neste processo os sais se prendem a superfície do material resultando em imperfeições estéticas (manchas brancas).

É importante lembrar que o efeito da eflorescência em si não traz riscos, porém com o seu acúmulo o filtro estará exposto a criar microrganismos que são prejudiciais à saúde. Por este motivo os fabricantes recomendam a higienização do corpo do filtro, e a troca do elemento filtrante periodicamente conforme recomendado nos manuais.

O filtro deve ser limpo da seguinte forma: Não utilizar substâncias químicas (sabão/detergente), substâncias orgânicas (limão/açúcar) ou abrasivos. Os motivos para não usar esses produtos para a limpeza estão relacionados com o fato de o filtro ser poroso, podendo facilmente absorver essas substâncias que podem ser prejudiciais para a saúde.

É necessário lavar as mãos antes do manuseio, usar somente água limpa, esfregar com algo macio (parte amarela da bucha) e com cuidado. Este processo deve ser feito no corpo do filtro e em sua vela.

Muitos dizem que filtros de barro deixam gosto na água e criam mofo, mas na verdade isso é parte de um grande processo feito para melhorar a qualidade de sua água e prover benefícios para sua saúde.

O CCDM é acreditado pelo Inmetro para realizar ensaios em filtros de acordo com a ABNT NBR 16098.

Entre em contato conosco para saber mais sobre os ensaios que realizamos em nosso laboratório de filtros.

 

1 Comment

  1. Ricardo7 de junho de 2020

    Excelente matéria! Sempre fizemos aqui em casa quando compramos um filtro (acho que só eu chamo de talha) novo, colocar folhas de laranjeira e ir trocando a água com frequência. Após três dias realizando este procedimento, colocando folhas novas todos os dias, já era possível começar a usar o filtro sem que a água ficasse com gosto de barro.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top